27.9.17

Woman - Michael Gaida.jpg

Foto: Woman - Michael Gaida

 

Não que já não soubesse. Mas aquela tomada de consciência…

Foi num dia banal, no meio de uma tarefa ainda mais banal. Ou talvez tenha sido aquele momento em que parou o que estava a fazer para olhar em volta e sentir-se grata. E de súbito uma brisa. E, de um sopro, um suspiro vindo da alma. E sentiu uma saudade inexplicável e dolorosa.

Saudade daquelas todas outras que queria ser e não podia. Saudade das tantas mais vidas que queria viver, mas que eram irrealizáveis.

 

Porque ser é muito mais simples do que desejava. E o aceitar uma pessoa é esperar que esta seja algo de coerente. No mínimo, redutor. Tantas outras pessoas que podia ser (e é), mas que não podem espreitar a luz do dia. Não poder seguir esses trilhos, todos ao mesmo tempo (ou intercalados), faz com que não seja, não viva em pleno. E às vezes, uma ponta de tristeza, uma insatisfação que se instala.

 

O vento já não soprava. Em resignação, dedicou-se novamente à banalidade de uma vida normal. Resta-lhe a quimera.

 

Sandrapep

Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 07:30  Comentar

Dili | Timor-Leste

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Landa Cortez

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Setembro 2017
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
13
14
16

17
19
20
21
22
23

24
26
28
29
30


Arquivo
Comentários recentes
Ola, boa tarde. o Mil Razões está em destaque no B...
OoopsFaltou dizer que a homepage dos Blogs do SAPO...
Olá,Este blog está em destaque na homepage dos Blo...
Parece que o Mil Razões quer mesmo estar em todos ...
O amor não resolve nada. O amor é uma coisa pessoa...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: