9.3.14

 

Estamos numa daquelas épocas, tendo em conta o nosso referencial ocidental, em que as dúvidas são muitas, os paradigmas não são sólidos, ameaçando desmoronar-se. É costume, penso, recorrer-se ao fim do Império Romano do Ocidente ou, talvez menos, ao final do século XVIII, quando nos queremos referir, exemplificando, ao final de uma época, à refundação de modos de vida. Estamos a falar de eras em que houve dissolução de costumes, exageros, portanto de abandalhamento, bandalheira.

Sintetizando: quando se vive, dizendo-o em duas palavras, uma crise valores.

Estamos aqui a falar de valores éticos, estéticos, religiosos, morais, políticos, através dos quais as pessoas, individualmente e em sociedade, fazem escolhas, opções.

Perante os factos da vida e para tomarmos opções, usamos critérios, uma hierarquia de valores que nos permitem, na nossa circunstância, tomar decisões.

Pois é, aqui vem a rasteira que não me é possível evitar. Ela faz-me tropeçar na duplicidade de significados dos “valores”, pois a eles também as pessoas se referem quando são imobiliários, mobiliários, transacionáveis em Bolsa.

Será que, no limite, a questão dos valores, hoje por hoje, tende a resumir-se ao recheio da bolsa?

 

Jorge Saraiva

Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 08:00  Comentar

Dili | Timor-Leste

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Inês Ramos

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Maria João Enes

> Marisa Fernandesa

> Rui Duarte

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Março 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
15

17
19
20
22

24
26
27
29

31


Arquivo
Comentários recentes
Ola, boa tarde. o Mil Razões está em destaque no B...
OoopsFaltou dizer que a homepage dos Blogs do SAPO...
Olá,Este blog está em destaque na homepage dos Blo...
Parece que o Mil Razões quer mesmo estar em todos ...
O amor não resolve nada. O amor é uma coisa pessoa...
Presenças
Ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: