19.11.13

 

Eu queria ser livre para gritar, gritar, até a voz me sair da garganta e cair no chão, inanimada, libertando-me de tanta angústia e revolta.

 

Eu queria ser livre para chorar. Um dia inteiro. Até poder aconchegar-me na morna poça das minhas lágrimas e libertar-me do estranho frio que sinto.

 

Eu queria ser livre para fugir. Para longe, para lugar nenhum. Fugir das responsabilidades que não sou capaz de assumir, do vazio da minha agenda, dos meus dias, tão cheios de tudo e de nada.

 

E no entanto, estou presa. Presa à boa educação que recebi, aos valores morais e sociais que me incutiram, às pessoas que dependem de mim. E me impedem de me libertar desta vida… quase perfeita.

 

Sandrapep


Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 08:00  Comentar

Dili | Timor-Leste

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Inês Ramos

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Maria João Enes

> Marisa Fernandesa

> Rui Duarte

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Novembro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
13
14
16

17
18
20
21
23

24
25
27
28
30


Arquivo
Comentários recentes
Ola, boa tarde. o Mil Razões está em destaque no B...
OoopsFaltou dizer que a homepage dos Blogs do SAPO...
Olá,Este blog está em destaque na homepage dos Blo...
Parece que o Mil Razões quer mesmo estar em todos ...
O amor não resolve nada. O amor é uma coisa pessoa...
Presenças
Ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: